0
Amadurecimento Textos

Por que não mudar?

10 de agosto de 2018

Oi amora! Eu estava aqui pensando um pouco sobre mudanças e o quanto nós as evitamos! Você já reparou como a maioria das pessoas é apegada à sua rotina? O simples caminho até o trabalho, a escola ou o mercado é, repetidamente, igual, mesmo havendo outras opções. Optamos sempre pelo caminho que entendemos como a escolha mais confortável, a que mesmo nos exige “trabalho”. E o que isso quer dizer? Que estamos realizando aquela ação de modo automático, ou seja, não estamos pensando sobre o que estamos fazendo, apenas repetindo o que, em algum momento, julgamos ser a melhor maneira de agir. O que não teria nenhum problema se isso fosse apenas restrito ao caminho que seguimos, mas temos ampliado esse comportamento para outras áreas, a desculpa da correria do mundo moderno é a principal justificativa que apresentamos para esse tipo de comportamento, o problema é que, justificável ou não, isso tem nos causado alguns prejuízos.

Você não precisa ser nenhum estudante de humanas para conhecer a frase “Penso, logo existo”, tudo bem, eu precisei perguntar ao tio Google para ter certeza que foi Descartes quem disse mas é muito provável que você já tenha lido em algum lugar, e você já deve ter sacado o porquê dela estar nesse (con)texto: pensar é a chave! Não vou me ater aos pormenores históricos ~ nem filosóficos; o importante é lembrar que esse pensamento foi escrito durante uma das maiores revoluções humanas, quando o homem passou a questionar  a si e o que havia no mundo. Duvidar das certezas daquela época nos trouxe até aqui num curto espaço de tempo. Então, por que estamos abrindo mão das incertezas? Por que optarmos sempre pelo mesmo antes de pensar se há outra forma de fazer?

Meu palpite é que não queremos pensar nas respostas, porque isso significaria ter que repensar algumas atitudes e mudar alguns hábitos e isso dá trabalho. Estamos muito ocupados para termos ainda mais trabalho, né? O que me leva a questionar: em quê exatamente estamos empregando nosso tempo? Você tem buscado realizar seus sonhos? Ou trabalhado em prol das causas que defende? Você está onde acreditava que estaria à 5 anos atrás? E daqui a 10 anos, onde você vai estar se continuar fazendo exatamente tudo igual? Talvez, pensar um pouquinho nas práticas diárias não seja tão ruim assim.

Mudanças, mesmo que pequenas, podem ter grandes impactos no futuro. Para isso se questionar deve ser uma prática diária. “Eu devo fazer isso? Por que eu quero fazer isso? Quais as consequências que isso terá? Eu sou feliz nesse cenário? Tem alguma coisa que eu possa fazer para deixar isso ainda melhor?” Gosto de conhecer todas as possibilidades, e seus desdobramentos, antes de fazer uma escolha. O que não impede das coisas darem errado, porque sim, elas também dão errado! Mas eu conheço as consequências disso. Sei lidar, ou pelo menos espero que saiba, lidar com elas. Um exemplo simples: quero ser escritora. Já sou? Não. O que eu preciso fazer para ser? Começar a escrever alguns textos, criar um blog (olha ele aqui!), buscar uma formação, fazer um curso… Quais as consequências? Largar a faculdade e fazer o vestibular de novo, talvez dessa vez eu não passe para um pública. Quais faculdades tem o curso que eu busco? Quantas são públicas? Quanto é o investimento nas particulares? Existe financiamento?

Quando fiz essa escolha estudava química industrial na UFRJ e estava ciente de todas as possibilidades, inclusive a de não passar para um novo curso superior. Eu precisei me perguntar o que era mais importante pra mim: ter uma formação superior ou estudar na universidade X ou Y. Eu não sabia todas as respostas, algumas eu fui só na intuição, mas eu conhecia os problemas que poderiam surgir. Acredite, eu mudei tudo para correr atrás do meu sonho.

Quer dizer que você precisa largar tudo também? CLARO QUE NÃO NÉ AMORA! Quer dizer que você deve questionar o caminho que esta tomando, seja o caminho de casa ou o caminho do altar, o caminho da faculdade ou da carreira, o da academia ou da geladeira, não importa! O que você não pode é se enganar, porque o tempo, cretino do jeito que é, vai cobrar logo logo e você não vai pode usar a desculpa do “eu não sabia”. Se alguém tem que saber onde pisam seus pés, esse alguém é você, por mais que a vizinhança tente acompanhar.

Se eu consegui? Ainda não, mas continuo tentando, hoje, bem mais perto do que naquela época. Com outras certezas inclusive, mais madura, mais firme. Ainda questionando, inclusive a validade desse texto, que ficou por algum tempo como rascunho. Me mantenho fiel ao propósito de pensar, de repensar todos os dias e tenho feito descobertas maravilhosas sobre mim, sobre o mundo a minha volta, sobre como influencio esse mundo e como ele responde.

Agora fica o desafio para você, pense, repense, questione-se e me conta como foi a experiência! Vou adorar dividir isso com você! Trocar é uma das melhores coisas de ter me tornado escritora na internet, saber o que você pensa e sente quando vem aqui é a maior motivação que posso ter para continuar!

Um bjo e até a próxima.

Você também pode gostar de

8 Comentários

  • Reply
    Bárbara Amorim
    10 de agosto de 2018 at 16:47

    Ahhh, que lindo e inspirador, Lu! “Você tem buscado realizar seus sonhos? Ou trabalhado em prol das causas que defende?”. Eu tenho pensado muito sobre isso, às vezes é fundamental a gente parar, ficar em silêncio e refletir sobre o que de fato queremos pra nossa vida. Depois é ir atrás, se jogar mesmo, como você fez, e que bom que fez. Parabéns!

    • Reply
      Lu SáFreire
      10 de agosto de 2018 at 17:35

      Babi, você sempre uma linda! Amo as suas lutas e como vc luta! Acredito que seu caminho vai ser lindo <3

  • Reply
    Girlady Bouvier
    10 de agosto de 2018 at 19:22

    O seu texto tem tudo a ver com o meu momento atual. Estou numa fase de transição e não é fácil lidar com o desconforto das mudanças. Mas quer saber? Ficar confortável por muito tempo não faz bem pro nosso crescimento. Parabéns pelo artigo super inspirador <3

    Bjs
    Gih

    • Reply
      Lu SáFreire
      10 de agosto de 2018 at 19:41

      Obriga Gih, espero que seu momento possa ser edificante e que você cresça ainda mais. Muito obrigada pela visita!

  • Reply
    Rebeca Stiago Cestari
    14 de agosto de 2018 at 22:15

    Oii Lu, curto muito esse tipo de texto. Agora há pouco eu estava lendo outro blog sobre mudanças. E abençoada seja cada mudança não é? Claro, concordo com você que não precisa meter o louco igual vc e sair largando tudo. Mas só de nos abrirmos mais para os detalhes do dia, os convites que surgem, novas ideias, novos projetos etc.. é uma forma de nos abrirmos para o novo. A vida é movimento SEMPRE – e você, melhor do que ninguém, tá ai pra provar isso 😉 Parabéns pelo seu post. Beijos

    • Reply
      Lu SáFreire
      15 de agosto de 2018 at 15:14

      Oie Rê!
      É isso aí! Cada um no seu tempo, do seu jeito, apenas não se deixando acostumar com tudo.
      Obrigada pela visita!
      <3

  • Reply
    JULIANA PADILHA
    18 de agosto de 2018 at 08:50

    Hoje estou vivendo justamente as consequências desse trechinho aí de baixo que vc escreveu:

    “Eu precisei me perguntar o que era mais importante pra mim: ter uma formação superior ou estudar na universidade X ou Y. Eu não sabia todas as respostas, algumas eu fui só na intuição, mas eu conhecia os problemas que poderiam surgir.”

    Como eu estaria “bem” aos olhos de tantos (e até dos meus, de alguma forma) se eu jah tivesse alcançado a plenitude do “superior completo” seja lah qual fosse a instituição, seja lah qual fosse o curso. Mas eu nunca sonhei “ter curso superior”. Nunca sonhei “fazer uma faculdade” sabe? Não eh assim que as coisas funcionam. Sonho causas. Sonhos dificeis, coisas para muito além de mim, e faço da minha vida instrumento para que essas coisas gigantescas aconteçam. Isso leva tempo. Leva um tempo imenso. Todo dia coloco um grãozinho ali nesse sonho que não eh soh meu.

    Botei uma criança no mundo e ela tb faz parte desse sonho. Ele eh um grão imenso capaz de mudar o mundo.

    Todo dia, volto para casa meio cá, meio lah… Olho p o mundo, às vezes tem menos grãos do que eu coloquei, e isso vai minando minhas esperanças de quando em vez, afinal, tudo está mudando o tempo todo… Reticências.

    O mais significante para mim dessas suas palavras sobre “gestao de mudancas” foi: não saber todas as respostas. Não sabemos e tá ok não saber. O nome disso eh risco. E vamos em frente pq parar não eh uma opção.

    E como eu disse a Peri quando ele teve medo do escuro esta semana (está nessa fase) “viver eh irresistível, ter medo vc pode ter, mas paralisar por conta dele não eh uma opção”.

    • Reply
      Lu SáFreire
      21 de agosto de 2018 at 15:34

      Eu escrevo para poder trocar essas frases tão valiosas: “viver é irresistível, ter medo você pode ter, mas paralisar por conta dele não é uma opção” não é! Isso me move, isso move todo coração que pulsa. Porque a coragem não é a ausência do medo, é seguir, apesar do medo.
      Obrigada Ju.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: