0
Lifestyle Organização

Metas: quando, por quê e como criar

13 de março de 2019
lettering sobre planejamento de metas

Oie amora! Não é de hoje que o uso do Bullet Journal (bujo) tem mudado muitas coisas na minha rotina e é menos ainda de hoje que tenho mudado muitos hábitos. Comecei a usar listas e traçar metas para alcançar meus principais objetivos – emagrecer, trabalhar e me formar – e tenho visto alguns resultados. Por já ter ouvido coisas do tipo “queria ter seu foco“, “nossa, como você tem força de vontade“, “como você consegue fazer isso?” foi que eu resolvi compartilhar algumas das coisas que tenho aprendido com você. E a mais recente e a mais dolorosa foi perceber que nem tudo precisa de uma meta ou um plano. Algumas coisas podem ser boas apenas como são, eu não tenho que criar uma estratégia de crescimento para algo que não precisa crescer e está tudo bem também!

Na era do coaching, do desenvolvimento pessoal, dos treinamentos, do marketing pessoal, da autogestão, aprendemos a treinar o olhar para identificar tudo que pode ser “melhorado” ou “aperfeiçoado”. Começa devagar, ao analisarmos a carreira por exemplo, as metas são comuns no meio empresarial, sendo, então, a porta de entrada para a filosofia da otimização – não sei se o termo existe, mas me pareceu apropriado. Quando menos percebemos, estamos otimizando a rotina da casa, o treino da academia, os estudos, o almoço, até os cuidados com o cabelo ou a pele. “Mas isso é bom! Por que você está falando como se fosse algo ruim, Lu?” Porque pode ser! Se a falta de organização e planejamento podem ser um fator negativo, o lado oposto, o excesso, também pode atrapalhar sua rotina. Por isso, é muito importante entender quando, por quê e como criar metas. Uma meta mal definida acaba com qualquer empolgação, traz sentimentos de incapacidade e baixa autoestima, dificulta a percepção do melhor plano a ser traçado. Resumindo, causa uma baita frustração.

Não permita que uma meta mal planejada te defina.

Se nem tudo precisa ser me melhorado, observar quando algo precisa ganhar um upgrade é o primeiro passo para qualquer planejamento. Observe todos os aspectos envolvidos, tente analisar a situação ou empreendimento de forma analítica. Algumas vezes nos sabotamos, criando verdades ou diminuindo obstáculos para tornar as coisas aceitáveis. E olha, pela minha experiência, somos capazes de fazer e acreditar em coisas tanto para justificar a realização das metas, quanto para nos escondermos atrás de desculpas para não realizá-las. Em outras palavras, é preciso ter sangue frio na hora de avaliar quando é hora de fazer mudanças.

Outro ponto importante é a pressão externa. Muitas vezes somos levados a fazer escolhas por pressões sociais ou familiares, o que pode ser uma péssima decisão quando pensamos em planos a longo prazo, como a escolha de um curso universitário, um relacionamento, uma dieta, tudo que é relevante e duradouro precisa ser verdadeiro e estar em confluência com a nossa essência para crescer e frutificar.


Dar sentido é fundamentar uma vontade.

Por que eu faço isso ou aquilo? Qual o por quê desse caminho? Por que criar um novo hábito? Por que criar metas? Por que atingir metas? Por que me esforçar para conseguir realizar alguma coisa? O porquê representa a finalidade, o motivo de você fazer o que está se propondo. Podemos dizer que é o objetivo, ele está acima das metas. Numa alusão simples, as metas são os degraus e o objetivo é o próximo andar. Ou seja, chegar lá – seja lá onde isso for – é o que vai te impulsionar a completar cada item da sua lista de metas. Ele é o desejo, o sonho, aquilo que você ambiciona. A motivação que não te permite desistir no meio do caminho. A motivação ou a vontade podem te levar a começar alguma coisa, mas só um porquê bem definido e fundamentado em um sentido real te impulsionam a chegar no fim.

Algumas pessoas podem confundir os objetivos com metas, isso porque usamos as duas palavras como sinônimas na língua portuguesa. Mas, na verdade, você pode usar a nomenclatura que preferir, o importante é saber onde se está, para onde se está indo e como vai se chegar lá. Gosto de usar o porquê para facilitar esse processo. Lembra as perguntas da escola? Quase sempre elas vinham acompanhadas de um “Por que?” no final e era essa explicação que garantia ou não o ponto da questão. Sendo assim, depois de reconhecer a necessidade de mudar, definir o cume que se quer atingir é essencial para o passo seguinte: planejar como chegar lá.

Caminhos não são precisos, mas são necessários.

Se você não sabe para onde vai, qualquer caminho serve. Verdade, só que se você quer chegar a um ponto, é mais fácil traçar uma reta. Acredito que essa seja a parte mais assustadora para a maioria das pessoas. Ter que sair do mundo dos sonhos e traçar passos reais, significa pôr a mão na massa e trabalhar de verdade. O medo do fracasso, as dificuldades externas, as questões pessoais, a transgressão dos limites, as responsabilidades, a satisfação alheia são alguns dos gigantescos pensamentos que invadem a mente do pacato cidadão. Sim, é apavorante, mas com bom senso, um pouco de ousadia, muita coragem e medo de dar game over, é nessa hora que você precisa criar um plano.

O que eu aprendi a muito tempo é que nada cai do céu de graça, pelo menos não para a maioria das pessoas, então, se eu quiser construir alguma coisa, vai ser no suor e na garra. Isso dá um medo foda, só que não tem outra saída. É seguir sempre em frente, com o melhor planejamento possível, tendo consciência de que tudo pode dar errado, que nem tudo depende de mim e, para o que depende, eu tenho que me entregar cem por cento.

Maturidade para reconhecer o que depende de nós e sensatez para compreender o que não.


A organização é fundamental para um bom plano, cada etapa deve ser estruturada e sólida, para você não correr o risco de desmoronar! Comece rabiscando todos os possíveis passo que você precisa dar. Escreva todo pequeno detalhe, algumas vezes é preciso enxergar o óbvio. Pense por horas, dias, meses até, leve o tempo que for preciso. Tente antecipar quais são os possíveis pontos de tensão, onde as coisas podem dar errado e qual seria a solução. Não, você não vai conseguir pensar em tudo, mesmo quando achar que pensou, a vida vai te mostrar que não e está tudo bem. Você vai saber lidar com os imprevistos, ainda mais depois de ter pensado sobre tantos possíveis problemas.

É óbvio que a gente quer realizar as coisas do dia para a noite, só que não é bem assim que acontece. Por isso gaste tempo planejando, pensando, organizando, tome decisões conscientes, não busque atalhos, trabalhe duro, descansa, mas não desiste. A maioria das pessoas abandonam seus sonhos porque encontram obstáculos que não foram capazes de prever ou por construir um plano inalcançável. Não importa onde você já chegou, pare e reveja o que é preciso fazer para continuar. Se for preciso, ajuste suas velas, retorne, volte algumas casas e encontre seu norte.

You Might Also Like...

3 Comments

  • Reply
    Bárbara Amorim
    13 de março de 2019 at 21:33

    Adorei, Lu! Achei as dicas muito boas, necessárias! Tava aqui justamente me organizando pra amanhã, mas antes disso parei pra escrever um texto pro meu blog, que também tem a ver com inspiração. Acho que é isso, é preciso foco pra concretizar as nossas metas, mas também calma, paciência, respiração! Uma hora as coisas fluem.

  • Reply
    Rebeca
    15 de março de 2019 at 03:20

    Oiii Lu! Eu sou a louca das organizações, listinhas, metas, planners etc etc. A única coisa que não deu certo pra mim foi o bujo, acredita? Muito legal seu post Lu, gosto de posts que chamam pra ação. Criar meta e nos organizarmos nos joga pro campo da responsabilidade pra corrermos atrás do que queremos sem perder tempo.. sem ver o ano sumindo e pensando o que conteceu, sabe?! Bem motivacional seu post. Beijos =)

  • Reply
    Simone Benvindo
    18 de março de 2019 at 13:06

    Suas dicas são ótimas, principalmente em dar sentido. Já me vi perdida e sem rumo durante o processo e isso é desgastante. Ter metas é muito importante, mas acredito que priorizar também, porque as vezes queremos estipular uma meta que ainda é maior que nosso passo.

    Charme-se

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: